Engenheiro de Saneamento

Você sabia que no dia 13/07 se comemora o dia do Engenheiro de Saneamento?

Essa data surgiu a partir do decreto de lei nº 53.697, de 13 de Março de 1964.

Ela regulamentou a lei nº 4.089, de 13 de Julho de 1963, que garantiu a criação do Departamento Nacional de Obras de Saneamento. 

Neste material eu vou trazer para você algumas informações sobre essa profissão desde o que faz um Engenheiro de Saneamento, seu perfil,  até a formação necessária e base salarial desse profissional.

O que é um Engenheiro de Saneamento?

Antes de mais nada, o trabalho dos engenheiros sanitaristas é muito importante para as áreas social, de saúde e ecológica, pois além de visar o bem estar social, também é uma forma de prevenir doenças, sempre visando a preservação e diminuição dos danos ambientais, promovendo um desenvolvimento sustentável.

O que faz um Engenheiro de Saneamento?

Para simplificar, é a área que trata da exploração e do uso dos recursos hídricos e os engenheiros sanitaristas são os profissionais responsáveis pelo:

  • Diagnóstico, elaboração e coordenação de projetos de saneamento básico e de obras sanitárias
  • Fiscalização, a manutenção e ampliação de projetos que melhorem a qualidade de vida da população, como os de água, sistemas de tratamento, esgoto, drenagem e irrigação pluvial, limpeza urbana e de resíduos
  • Elaboração de projetos e obras hidráulicas que visam à melhoria da qualidade de vida da população
  • Analisar e orientar o uso dos recursos das bacias hidrográficas
  • Elaboração de projetos de preservação ambiental e controle da poluição, sempre buscando promover um desenvolvimento sustentável
  • Coordenação de projetos de saneamento básico
  • Realização de projetos de limpeza urbana e de eliminação dos resíduos sólidos da melhor forma possível, visando sempre à preservação ambiental.

Qual o perfil de um Engenheiro de Saneamento?

  • Gosto pela natureza
  • Interesse por questões ambientais e sociais
  • Capacidade de organização
  • Capacidade de observação
  • Interesse pelas tecnologias e metodologias da área
  • Visão de projeto
  • Disciplina
  • Paciência
  • Responsabilidade
  • Método
  • Facilidade para expor situações.

Qual a formação necessária para ser um Engenheiro Sanitarista?

Em primeiro lugar, para ser um engenheiro sanitarista é necessário diploma do curso superior de Engenharia Sanitária e Ambiental, que tem a duração média de cinco anos.

Esse curso tem por objetivo habilitar o profissional nas metodologias e tecnologias de projeto, diagnóstico, construção, manutenção e operação de sistemas ligados principalmente ao aproveitamento dos recursos hídricos e ao saneamento básico.

Contudo, como em todas as engenharias, os primeiros dois anos de curso são voltados ao estudo de matérias básicas como matemática, física, química e biologia, e depois o ensino é voltado às matérias de sistemas hidráulicos, hidrologia, metodologias de tratamento de água, controle de poluição, geologia, topografia, qualidade da água, resíduos sólidos urbanos, entre outras que fazem parte da grade curricular do curso.

Entretanto, para exercer a profissão de engenheiro sanitarista é necessário registro no CREA – Conselho Regional de Engenharia Arquitetura e Agronomia.

Qual a média salarial de um Engenheiro de Saneamento?

De acordo com a pesquisa do Salario.com.br junto ao CAGED com base em dados salariais de 6 profissionais formados em Engenharia Civil, o salário inicial para um Engenheiro Civil (Saneamento) recém-formado na faculdade é de R$ 4.155,50 mensais para uma jornada de trabalho de 44h semanais em média.

Um Engenheiro Civil (Saneamento) Júnior ganha em média R$ 7.381,86, o nível pleno recebe cerca de R$ 8.041,38, já o Sênior tem uma média salarial de R$ 29.570,31 mensais de acordo com pesquisa do Salario.com.br junto aos dados oficiais do CAGED de profissionais demitidos no mercado de trabalho.

Engenheiro de Saneamento recebe insalubridade e periculosidade?

A princípio, o valor do adicional de periculosidade para o cargo de Engenheiro Civil (Saneamento) com base no salário médio seria de R$ 3.462,19 mensais (30%).

Em contrapartida, o adicional por insalubridade é dividido por graus, A 1ª de 10% teria um valor de cerca de R$ 1.154,06, a 2ª de 20% seria de cerca de R$ 2.308,12 e a 3ª de 40% chegaria a um valor mensal de R$ 4.616,25.

No entanto, segundo o MTE a caracterização e classificação da insalubridade e da periculosidade do Engenheiro Civil (Saneamento), devem ser feitas através de perícia do Médico ou Engenheiro do Trabalho. (Art. 195 CLT).

Além disso, insalubridade e periculosidade não são cumulativos portanto o trabalhador deve optar por um ou pelo outro.

Enfim, para finalizar o post de hoje, em especial ao dia do Engenheiro de Saneamento, é interessante ressaltar que segundo relatório da UN-Water, para cada US$ 1 milhão investidos na América Latina em expansão dos serviços de água e esgoto, 100 novos empregos serão gerados diretamente.

Logo, para os próximos anos, está previsto um investimento de US$ 1 bilhão no setor na região e se espera que 100 mil empregos diretos sejam criados.

Gostaram do post de hoje? Viram como o trabalho do Engenheiro de Saneamento é muito importante?

Até mais.

 

 

FONTES:
https://www.crq16.org.br/?p=2880
https://www.saneamentobasico.com.br/engenheiro-sanitarista-profissional-que-e-perito-em-assuntos-sanitarios/

http://portalclubedeengenharia.org.br/2010/07/13/engenheiros-sanitaristas-e-suas-competencias/

https://www.salario.com.br/profissao/engenheiro-civil-saneamento-cbo-214260/

Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS 2014) / UN-Water

https://www.juntospelaagua.com.br/2016/10/18/profissionais-saneamento-basico-quem-sao/https://blog.imap.com.br/dia-do-engenheiro-de-saneamento

Artigos relacionados

No Comments

Leave a Comment